5 ERROS DA PORTARIA QUE PREJUDICAM A SEGURANÇA DO CONDOMÍNIO

19 de novembro de 2019

Veja como resolver 5 problemas da portaria que podem estar colocando a segurança do condomínio em risco

Erros existem para serem corrigidos. Esse é um bom pensamento, mas para ser efetivo na vida real, é preciso que haja liderança, paciência e procedimentos claros.

A proposta de uma portaria do futuro é que procedimentos voltados para melhoria da segurança sejam tratados com diretriz de Erro Zero. Metodologia e tecnologia são fundamentais para conseguir isso. E conhecer os erros a fundo também.

Por isso, veja 5 erros críticos que colocam a segurança do condomínio em risco e como resolvê-los.

 

1. Falta de qualificação do porteiro

 

Estamos em pleno século XXI e ainda existem líderes que consideram sua equipe como despesa. Esse é um dos principais modelos mentais que alimentam falhas, desmotivação e descaso com os procedimentos por parte de porteiros. O pior: muitos síndicos que não treinam nem investem em suas equipes, ainda colocam a culpa dos problemas nos funcionários.

Por isso, nesse item, a solução é sim, treinar o porteiro para ter mais segurança. Porém, mais importante, é criar uma mudança de na forma de pensar nas lideranças do condomínio, já que o treinamento não deverá ser feito uma só vez. Precisa ser constante.

 

2. Falta de procedimentos claros

 

É fundamental que a portaria tenha procedimentos formais, definidos em assembleia. Não é apenas o porteiro que deve segui-los. Todos os moradores devem conhecer, entender e respeitar as regras da portaria. Cabe ao porteiro garantir que essas regras sejam respeitadas. Daí, voltamos ao primeiro item, treinamento.

Para criar procedimentos, procure conversar com uma equipe especializada em segurança ou contratar consultores especializados. Assim você conseguirá aplicar o que existe de mais moderno em metodologias de segurança para condomínios.

 

3. Abandono da portaria

 

Se a portaria do seu condomínio fica sem ninguém, duas coisas podem estar acontecendo: (1) o porteiro está sendo desviado de suas funções ou (2) ele pode estar em horário de descanso ou ter ido ao banheiro. No primeiro caso, reveja com o zelador ou gerente predial que tipo de serviço está sendo delegado para o porteiro.

Pode ser que algum morador esteja solicitando algum serviço do profissional da portaria. Atitudes como essa devem ser eliminadas. Já se for o segundo caso, é preciso criar regras para equilibrar as necessidades do funcionário às demandas condominiais, inclusive quando há falta de pessoal. Peça ajuda para sua administradora.

 

4. Liberar veículos sem identificar a pessoa dentro dele

 

Esse é uma das maiores brechas na segurança de qualquer condomínio. É preciso verificar todos os ocupantes do veículo, não apenas o motorista. Uma boa solução é instalação de câmeras em vários pontos da clausura.

 

5. Deixar portão e portas abertas

 

Ainda que existam portas automáticas ou com mola, há muitos condomínios que não se preocupam com o fato das portas ficarem abertas. Se isso acontece, a responsabilidade é do porteiro. Pode ser que a porta esteja com problemas, mas não importa.

É o porteiro que deve comunicar o zelador para que o defeito seja consertado, e o porteiro deve se comprometer a fechar a porta ou portão até o problema ser totalmente resolvido.

 

Lembre-se: o treinamento é a base para evitar erros na portaria. Invista nos profissionais do seu time com cursos e treinamentos. Você perceberá a diferença na qualidade da segurança e no bem-estar do seu condomínio.

 

 

Compartilhe:

Entre em Contato Conosco

São Paulo:
Atendimento - (11) 3145-1322
Comercial - (11) 3145-1300

Segunda a Sexta das 09:00 às 18:00 horas

Mogi das Cruzes:
Atendimento - (11) 4728-4359

Segunda a Sexta das 09:00 às 18:00 horas




A sua opinião é de grande interesse para a Graiche. Clique no botão abaixo e entre em contato por meio do nosso canal de atendimento.