5 dicas para um condomínio mais sustentável

19 de fevereiro de 2020

dicas para um condomínio mais sustentável

A sustentabilidade é um assunto que está em alta, inclusive nas reuniões de condomínio. Apesar de ser uma pauta que divide opiniões, nada melhor do que pensar e agir de modo que a natureza e a ecologia sejam preservadas, certo?!

E engana-se quem pensa que a sustentabilidade tem a ver apenas com a preservação do meio ambiente. A partir do momento em que tomamos mais consciência das nossas ações dentro do local em que vivemos, também melhoramos a nossa qualidade de vida e, inclusive, reduzimos custos.

Mas, afinal, como é possível tornar um condomínio mais sustentável? Neste post, reunimos 5 dicas para auxiliar nesse processo. Acompanhe!

1.  Conscientize todos os condôminos

É certo que toda mudança parte de nós mesmos. No entanto, quando vivemos em sociedade, a mudança é muito mais significativa quando é realizada em conjunto. Por isso, se você deseja ter um condomínio mais sustentável, passe a falar sobre o assunto com os moradores e em reuniões condominiais.

Lembre-se: nem todo mundo entende a importância da sustentabilidade. Logo, todo o tipo de alerta é bem-vindo: abordar a pauta em reuniões, colar cartazes educativos nos elevadores, criar grupos de discussão sobre o assunto, projetar as melhorias que esse posicionamento trará… Enfim, a comunicação precisa ser direta, didática e coerente para engajar os moradores. Educação ambiental é o termo de ordem!

2.  Por que implantar o sistema de coleta seletiva no seu condomínio?

A lei 12.305/2010 – Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) – dá as diretrizes referentes à gestão correta dos resíduos sólidos, tanto para as pessoas físicas (condôminos) quanto jurídicas (condomínios). Já a Lei 12.528/2007, obriga a implantação do Sistema de Coleta Seletiva em condomínios residenciais com no mínimo 50 habitantes. O descumprimento pode acarretar ao infrator uma multa significante.

Cada um é responsável pelo lixo que produz. Condôminos têm a obrigação de separar corretamente os resíduos gerados em suas residências e o condomínio, por sua vez, tem a obrigação de implantar a coleta seletiva para uma correta destinação final.

Separe os resíduos entre recicláveis (secos, embalagens de papel, metal, plástico e vidro) e não recicláveis (orgânicos e rejeitos). Acondicione estes resíduos previamente separados em sacos de cores diferentes, utiliza-se o saco verde para os recicláveis e o preto para os não recicláveis.

Se o condomínio possuir composteira, separe também os materiais orgânicos/comportáveis.

Para os resíduos diferenciados, como óleo, lâmpadas fluorescentes, pilhas e baterias, o ideal é ter um acondicionamento específico, com bombonas, coletores e/ou caixas resistentes, de acordo com cada tipo de resíduo.

Todos os moradores, empregados domésticos e funcionários do condomínio que retiram o lixo devem ser orientados e treinados sobre o descarte correto. O local para armazenamento também deve ser adequado e lembre-se sempre de verificar na prefeitura local que dia passa a coleta seletiva em seu endereço, pelo cep do condomínio.

3.  Crie uma horta comunitária orgânica

Outra forma de tornar o condomínio mais sustentável é com uma horta comunitária. Já imaginou todos os moradores cozinhando e preparando diversas receitas com alimentos plantados por eles mesmos e livres de agrotóxicos? Além disso, é uma forma de adquirir um espaço verde no local

É bem simples colocar essa ideia sustentável em prática: reserve um local iluminado (luz natural, de preferência) do condomínio, compre sementes, plaquinhas para identificar o tipo de plantação e convide todos os moradores para participar. É possível também criar um jardim. Neste caso, opte por plantas que consumam pouca água, como suculentas e palmeiras.

4.  Incentive o uso de escadas e lâmpadas econômicas

Os elevadores facilitam muito o deslocamento dos moradores. Em contrapartida, gastam muita energia, impactando na conta de luz. Por isso, uma boa dica é incentivar o uso de escadas. Dá para criar “o dia sem elevador”, no qual as pessoas priorizam subir e descer pelas escadas. É certo que isso não é aplicável às pessoas idosas ou com mobilidade reduzida, então deixe isso explícito em sua comunicação.

Sobre o uso das lâmpadas econômicas, já faz algum tempo que elas ganharam visibilidade. Se o seu condomínio já faz uso delas nas áreas comuns, estimule os moradores a trocarem a iluminação de dentro do apartamento. Assim, todos saem ganhando — inclusive a natureza!

5.  Monte um mural de dicas para um condomínio mais sustentável

Para conscientizar todos os moradores sobre ações que preservem a natureza e ainda proporcionem mais qualidade de vida, a educação ambiental é indispensável. Como citamos, nem sempre todos estarão engajados. E é justamente por isso que a conscientização é importante, mas entenda que leva tempo.

Montar um mural com dicas para tornar o condomínio mais sustentável é uma iniciativa necessária. Nele, todos poderão compartilhar ideias, sugestões e aprendizados. A comunicação melhora e a conscientização também. Vale a pena testar!

Em tempo de ações para um mundo melhor, o importante é dar o primeiro passo! Tornar um condomínio mais sustentável não será do dia para a noite. Mas quando todos os moradores abraçam a causa, todos ficam mais perto dessa conquista!

E você, gostou de saber um pouco mais sobre como tornar o seu condomínio mais sustentável? Viu como com simples ações é possível implementar mudanças significativas? Agora é com você! Aproveite e aprenda a administrar condomínios com este e-book!

 

 

Compartilhe:

Entre em Contato Conosco

São Paulo:
Atendimento - (11) 3145-1322
Comercial - (11) 3145-1300

Segunda a Sexta das 09:00 às 18:00 horas

Mogi das Cruzes:
Atendimento - (11) 4728-4359

Segunda a Sexta das 09:00 às 18:00 horas




A sua opinião é de grande interesse para a Graiche. Clique no botão abaixo e entre em contato por meio do nosso canal de atendimento.